Espetáculo teatral-poético-musical de Emmanuel Marinho conquista público na segunda noite do FASP

Categoria: Geral | Publicado: sábado, agosto 22, 2015 as 15:03 | Voltar

Por Alexander Onça

No intervalo entre a sonoridade clássica regional do show de Geraldo Espíndola e Marcelo Loureiro, e o espetáculo envolvente de Almir Sater, na noite desta sexta-feira (22), surge no Palco da Palavra, na Praça Generoso Ponce, em Corumbá, a poesia encantada, alegre e crítica de Emmanuel Marinho, parte do Festival América do Sul Pantanal (FASP).

A  narração do poeta de “Solo para Palavras e Sanfona de Brinquedo” combinou bem com a temática do Festival e as atrações do momento, trazendo nas palavras a sensação da tranquilidade pantaneira. “A palavra árvore é uma palavra. A palavra árvore com folhas e folhagens é uma frase. Nela cantando uma ave é poesia na paisagem”, exclama Emmanuel acompanhado de uma pequena sanfona de brinquedo e um microfone.

No universo lírico do poeta Emmanuel Marinho, tem cigarras, formigas, e um monte de bicho, todos bonitos e encantadores, exceto o bicho homem. E é justamente para esse bicho que elefaz um  alerta: “Quando você perceber que não vai ser um Big Brother e que nunca vai ganhar no show do milhão, você percebeu que perdeu muito tempo ligado na televisão”, cantou. Depois completou: “Assim como a televisão precisa de santa chutada, sequestro a mão armada e outros casos de polícia, meu coração, amor, precisa de notícia: me internet, me internet, me internet”.

As figuras de linguagem e trocadilhos foram compreendidas e elogiadas pelo estudante de Corumbá, Kleverson Rodrigues. “Ele brinca muito com as palavras, dá para sentir fortemente a influência de Manoel de Barros nas músicas e poesias dele, é muito bonito, mas também é crítico, gostei demais, tem  tudo a ver com Festival”, contou o corumbaense.

Não bastando a riqueza na poesia, entonação e presença de palco, Emmanuel também mostrou seu conhecimento musical repleto de influências do baião, rock, reggae e um leve gingado regional. “Quando você perceber que não teve escolhas, não fique triste!  Você percebeu e perceber é bom”.

Emmanuel também declamou poemas do seu novo CD Encantares e  homenageou o Pantanal e o FASP,e finalizou com clássicos como: “Poesia não compra sapato, mas como andar sem poesia?” e “que a poesia possa, como uma sementinha na roça e que a alegria seja toda nossa”.

 

9a7cf2958818e9688dd5d9e4b409aa3c

Publicado por: tmotta@fazenda.ms

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.