Sucesso de público, peça adaptada de obra de Ariano Suassuana abre programação do “Boca de Cena”

Categoria: Geral | Publicado: quarta-feira, abril 13, 2016 as 09:51 | Voltar

Campo Grande (MS) – O “Santo e a Porca”, da Companhia de Teatro Fulano di Tal, é um espetáculo adaptado da obra de Ariano Suassuana e abre a programação da Mostra Sul-Mato-Grossense de Teatro e Circo – Boca de Cena na próxima segunda-feira (18), às 20h, no Teatro Aracy Balabanian, no centro da Capital, com entrada de graça e classificação 12 anos. Ingressos devem ser retirados com uma hora de antecedência, no local da apresentação.

O festival acontece de 18 a 23 de abril e é uma realização da Secretaria de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação e Governo do Estado de MS. Organização e produção; Colegiado Setorial de Teatro de Campo Grande, Colegiado Setorial de Arte Circenses de Campo Grande e Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul.

A peça já circula há três anos, tendo sido apresentada 32 vezes, com um público aproximado de sete mil pessoas. Participou de Festivais, como o de Inverno de Bonito, do Circuito Sul-Mato-Grossense de Teatro e do próprio Boca de Cena em três edições anteriores. A peça é uma adaptação da obra de Ariano Suassuna e levou quase dois anos para ficar pronta. Para o diretor do espetáculo Marcelo Leite, mesmo a peça tendo sido escrita em 1957, ainda é atual, “fala de valores morais, éticos, religião, desse apego pelo dinheiro, que representa muita gente, é como se o povo estivesse participando do espetáculo. Independente de época, as pessoas se identificam com a peça”, frisa Leite.
12963519_1089978814407212_102101374558246620_n

Marcelo Leite, diretor da Companhia de Teatro Fulano di Tal Foto: Edemir Rodrigues
A peça de Ariano Suassuana é uma comédia e aborda o tema da avareza, assunto favorito de Plauto (Aulularia) e Moliére (O Avarento). A versão do Fulano di Tal tem adaptação de Rita Regina Diniz, direção de Marcelo Leite e co-direção de Bruno Loiácono. A trama tem início quando o fazendeiro Eudoro Vicente (Begèt de Lucena) envia uma carta ao comerciante Eurico (Vini Ferreira), mais conhecido como Euricão Engole Cobra, pedindo-lhe o seu “maior tesouro”.

12993608_1089977217740705_5370355087907754026_n

Eudoro se refere, na verdade, à mão de Margarida (Rayra Calin), filha de Eurico, em casamento. Mas este pensa que o outro quer roubar-lhe a fortuna, guardada há anos em uma porca, herança deixada por seu avô. Para complicar, Margarida e o filho de Eudoro, Dodó (Manolo Schittcowisck), estão apaixonados e Benona (Marjorie Matsue), irmã solteirona de Euricão, acha que o convite de casamento é para ela. Ao perceber o mal-entendido, a esperta Caroba (Maria Fernanda Fichel) elabora um plano para ganhar um dinheirinho extra e se casar com Pinhão (Bruno Yudi).

É a partir das confusões feitas pelo plano de Caroba que se desenrola toda a trama A comédia “O Santo e a Porca” não foge à regra dos espetáculos de Ariano Suassuna, onde a simplicidade do trabalho permeia toda ação dramática. O cenário recria um ambiente do interior nordestino e o figurino se apresenta com retalhos e rendas. A cultura nordestina é amplamente valorizada através de personagens que trazem consigo a marca de um povo sofrido, porém alegre.

Marcelo Leite afirma que há elementos surpresas durante o espetáculo, “sempre a gente tem a preocupação de mudar alguma coisa já que o espetáculo está em cartaz há muito tempo, quem acompanha sabe que a gente utiliza um pouco da linguagem da internet, apesar da peça ser atemporal. E ainda há a entrada de um novo ator, que dá um novo gás para a peça”, destaca.

Marcelo Leite fundou a Fulano di tal em 2003 com um grupo de alunos Foto: Edemir Rodrigues
Leite diz ainda estar gratificado ao participar do “Boca de Cena”, que foi criado para homenagear o dia do Teatro que se comemora no dia 27 de março, “é um reconhecimento para quem está fazendo teatro na cidade, no estado, passar no edital foi importante, foi uma certificação de que a gente está fazendo tudo certo e que a peça está trilhando seu caminho. É muito gratificante poder participar do Boca de Cena”, diz com entusiasmo.

Serviço – “O Santo e a Porca” será apresentada dia 18 de abril, às 20h, na abertura oficial do Festival de Teatro “Boca de Cena”, no teatro Aracy Balabanian. A entrada é franca e a classificação indicativa é de 12 anos. Acompanhe toda a programação do Festival nas redes sociais pela #bocadecena.

Texto André Messias

Publicado por: tmotta@fazenda.ms

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.